BLOG

28 de Dezembro de 2020 por Victor Amaral

Queda na venda de carros: entenda os motivos para isso

Queda na venda de carros: entenda os motivos para isso

O fechamento de concessionárias e montadoras no início da pandemia do novo coronavírus, em março de 2020, influenciaram a queda na venda de carros novos e usados no Brasil. 

Ainda que o setor esteja se recuperando, esse foi o pior ano para o setor desde 1999, e mesmo enquanto as vendas caem, a procura por carros alugados tem aumentado bastante. 

De acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), o setor automobilístico comercializou 676 mil carros entre janeiro e maio deste ano, volume 37,7% menor que no mesmo período do ano anterior.

Quer entender um pouco melhor sobre como a queda na venda de carros vem impactando o mercado? Fique conosco até o final do conteúdo para tirar suas conclusões.

redirecionamento

A queda na venda de carros e a pandemia 

A indústria automobilística foi um dos mercados mais afetados pelas medidas de segurança adotadas em todo o mundo com o avanço da pandemia do novo coronavírus.

O fechamento do comércio em grande parte do país, a partir da segunda quinzena de março, impactou negativamente na fabricação de veículos e, consequentemente, influenciou a queda na venda de carros.

Em abril, foram vendidos 55,7 mil veículos novos, uma redução de 76% comparado com o mesmo período de 2019. 

Esse número, inclusive, foi o pior resultado registrado desde fevereiro de 1999, de acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

A queda na venda de carros também atingiu o setor de seminovos, que apresentou uma redução de 73,7% no volume de veículos comercializados entre março e abril em comparação com o ano anterior. A pandemia ainda trouxe resultados negativos para as fábricas e montadoras. 

A produção de automóveis leves, caminhões e ônibus no mês de abril caiu 99% em relação a março, onde foram fabricados apenas 1.847 veículos neste período, de acordo com a ANFAVEA.

O fechamento dos Detrans

fechado

Ainda que o fechamento das concessionárias em todo o país tenha sido o principal motivo para a queda na venda de carros, a paralisação dos atendimento dos Detrans também contribuiu para isso.

Em cumprimento aos decretos estaduais e municipais, diversas unidades do Departamento tiveram seus serviços suspensos, entre eles os de registro, prazos de transferência, licenciamento e emplacamento de veículos usados. 

Embora alguns atendimentos fossem realizados online, eles não foram suficientes para dar vazão à demanda das revendedoras de carros.

Aumento na procura por carros alugados

Enquanto as vendas de veículos caíram, a pandemia do novo coronavírus provocou o aumento da procura por aluguel de carros. Esse setor já vinha crescendo desde 2019, quando o número de usuários passou de 49,7 milhões, 15,3% a mais do que no ano anterior. 

Além de não precisar se preocupar com licenciamento e seguro ou proteção, por exemplo, o carro alugado tem custos mais baixos que o próprio. Ainda assim, possibilita que o usuário consiga ir ao trabalho ou realizar uma viagem sem se expor a aglomerações e ao vírus. 

Até o início deste ano, 66% dos jovens brasileiros consideravam que ter um carro próprio era algo dispensável. Afinal, a cultura do compartilhamento via aplicativos, como Uber e 99Pop, possibilita economia e também sustentabilidade.

No entanto, o alto poder de contágio do vírus fez com que as pessoas repensassem o hábito de compartilhar o transporte, particular ou público. Assim, alugar um carro foi a saída encontrada por vários brasileiros, inclusive, para retomar as viagens nacionais.

Quem antes alugava um carro apenas quando chegava no aeroporto após uma viagem de turismo ou negócios, agora prefere percorrer todo o percurso já no veículo e assim evitar uma possível contaminação nos aeroportos.

Quais as vantagens de alugar carros?

alugar carro

Embora ter um carro seja ainda sonho de consumo para muita gente, deve-se levar em consideração uma série de custos que ele também trará, entre eles o combustível, seguro, IPVA, revisão e manutenção, por exemplo.

Já o carro alugado proporciona os mesmos benefícios, mas sem pesar no bolso. Afinal, esses custos fixos são de responsabilidade da locadora e não do usuário.

1. Menores custos 

A principal vantagem em alugar carro está no custo baixo. Quem compra um carro próprio, além dos custos fixos mensais (combustível e seguro), ainda precisa arcar com as despesas do emplacamento e licenciamento.

Se for um veículo seminovo, ainda terá que pagar a transferência. Em ambas as ocasiões se paga pela posse do bem. Já no carro alugado, você está pagando apenas para usá-lo. Dessa forma, se você vai alugar para viajar, estará pagando o valor proporcional ao período. O mesmo vale para quem irá alugar o carro por um mês, semestre ou anos.

Por outro lado, é importante ressaltar que o cliente deve arcar com as multas de trânsito mesmo que o carro seja alugado. Geralmente o consumidor é notificado pela locadora e poderá recorrer, se assim for necessário.

Ainda que o aluguel também tenha seus custos de oportunidade, eles são menores se comparado com a aquisição de um carro, seja ele novo ou seminovo.

2. Autonomia

A outra vantagem de alugar um carro é a autonomia. Se você tem o costume de usar carro por aplicativo, sabe que às vezes não tem nenhum motorista por perto e que, por isso, pode ser preciso esperar muito tempo até ele decidir se aceita a corrida e chegar à sua localização.

O semelhante ocorre ao viajar de avião ou ônibus, já que ao chegar no destino, você dependerá de algum tipo de transporte para se locomover até o hotel ou para passear na região. 

Além de ficar sujeito à longa espera, ainda terá que desembolsar certa quantia caso prefira o táxi. Caso use o transporte público, o gasto será bem menor. Contudo, pode enfrentar atrasos e superlotação, o que não é o indicado no momento em que estamos vivendo.

Com o carro alugado, além de economizar, você ganha a autonomia para ir aonde desejar sem depender desses fatores. Dessa forma, terá muito mais tempo para aproveitar a viagem e os dias com a família de forma tranquila.

3. Segurança 

A maioria das locadoras de carro só trabalham com contratos em que a proteção e/ou seguro está inclusa. Assim, o usuário paga uma franquia e o restante é coberto pela empresa. Na Foco Aluguel de Carros a proteção LDW, mais básica, já vem inclusa e é totalmente gratuita.

O cliente tem a opção de escolher quais os benefícios do seguro que deseja, mas a maioria envolve proteção contra colisões, incêndios, roubos e até perda total.

Essa é mais uma vantagem do aluguel de veículos e que também levou à queda na venda de carros, mesmo que de forma indireta.

Além disso, o carro gera mais segurança em relação à exposição ao coronavírus, pois permite que as famílias viagem longas distâncias sem estarem em contato com outras pessoas.

4. Flexibilidade na hora de devolver o carro

Ainda existe a possibilidade de alugar o carro em uma cidade e devolver em uma outra, ou até mesmo em outro estado. Com essa flexibilidade, é muito mais prático fazer uma viagem longa, que envolve conhecer diversos lugares.

A tendência para 2021 é que a queda na venda de carros se mantenha, mas que a procura por veículos alugados continue aumentando. Principalmente por pessoas que desejam retomar as viagens pelo Brasil, mas que não querem se expor aos riscos de contaminação em aviões ou ônibus.

Agora, se você deseja saber quais os requisitos ou os documentos solicitados para alugar um veículo, aproveite para conferir o artigo que preparamos com a lista de documentos e critérios que você precisa apresentar. 

redirecionamento

Posts relacionados: